19 maio 2017

A Casa de Umbanda Pai José de Aruanda Convida nossos amigos e irmãos de fé, a participarem da Homenagem aos queridos e amados pretos – velhos. Hoje dia 19 de maio de 2017 – as 19:30hs Entidades de muita luz e muita sabedoria.



PAI CIPRIANO

Bate tambor na Umbanda
Pra ver meu velho chegar
Ele é Pai Cipriano, ele é pai Cipriano 
Mensageiro de Oxalá.

PAI CIPRIANO

Cipriano quimbandeiro, chorou no cativeiro
Hoje chora de alegria seu rosario de Maria
Chora, chora, saravando Angola (bis)

PAI CIPRIANO

Ele é Pai Cipriano, ele é Pai Cipriano
É um velho mandingueiro
Não tem medo de macumba, 
não tem medo de quiumba
É um velho feiticeiro
Com a sua pemba na mão ela desafia
Com seu cachimbo na boca ele assobia

PAI CIPRIANO

Feitiço, mandinga, quebranto só ele sabe rezar
Sua bengala e seu cachimbo servem para trabalhar
Pai Cipriano das almas é um velho mandingueiro
Quando chega na Umbanda
Encruza todo o terreiro,
Ele é velho rezador com seu patuá de valia
Por Deus e Nossa Senhora, nos tira da agonia (bis) 

PAI CIPRIANO

No cantinho de Pai Cipriano o caminho é da paz (bis)
Arrasto o toco, pega o toco e bota lá
Saravá Pai Cipriano que chegou nesse conga (bis)
Ele vai firmar, meu pai, ele vai firmar
Os quatro cantos desta casa
Com Ogum para guardar (bis)


 PAI CIPRIANO

Segura com fé na mão de Cipriano
Pra colher flores ou espinhos retirar,
Ele nos traz a luz divina de Aruanda
O brilho da estrela guia a benção de Oxalá
Se o caminho é de paz, Cipriano é amor
Segura com fé na mão do meu vovô 

 MARIA CONGA

Todo dia era dia de choro e de muita dor
Mesmo assim uma escrava chegava de bom humor
Quem chorava passava a sorrir
Quem caia ficava de pé
Ela era a esperança o amor e a fé
Na passagem de um mundo pro outro seu povo sentiu
E aquela doçura e alegria não mais existiu 
Ela disse que ia voltar precisando pode lhe chamar
Pra Aruanda o tambor pode tocar
Conga, Vó Maria Conga
Que saudades de você
Preta velha feiticeira rainha do Cateretê

 VOVÓ ANA

Ela é vovó Anna, ela é do cruzeiro (bis)
Ela vem sarava, ela vem curiar nesse terreiro (bis)
Ela é de Nanã, é de Boruquê (bis)
Ela vem sarava, ela vem curiar pra ajudar você (bis)


VOVÓ ANA

Vovó Anna vem da praia no barquinho de Iemanjá
Ela vem firmar seu ponto pela fé de Oxalá
Oi tem areia oi, oi tem areia 
na barra de sua saia tem areia. (bis)


 PAI MANÉ

O senhor do Bonfim mandou, preto velho na banda
Ele vem da Bahia com seu rosário e seu patuá,
Ele vem trabalhar pra você (bis)
Pai Mané na banda agora é que eu quero ver.

CAMBINDA

Arriou na linha das almas
É Cambinda de fé oi babá (bis)
Velha feiticeira lá da Guiné,
Vem de muito longe pra curar filhos de fé. (bis)

PAI MIGUEL

Com sua balança que pesa 
O bem o e mal que o filho faz (bis)
Ele é Pai Miguel, ele é Pai Miguel
Ele é Pai Miguel das Almas (bis)
Balança, como pesa a balança, 
Balança como vai pesar (bis)
Com o amor de Xangô e a justiça na mão
Pai Miguel vem na umbanda salvar.

MARIA CONGA

Maria Conga, com suas folhas de guiné
Seu galhinho de arruda, o seu vence demandas,
Deixa o manacá em flor (bis)
Vem lá das matas, trabalhar com muito amor
Nesta Umbanda querida vem prestar a caridade
Para a Glória do Senhor (bis) 

TIA MARIA

Liberdade ainda que tardia
assim rezava na senzala Tia Maria (bis)
Salve o triângulo divino salve o seu ponto riscado
Saravá Minas Gerais
Tia Maria de Minas chorando em oração 
pedia a Zambi o fim da escravidão

PAI JOAQUIM

Chorar, chorar chorei
Cantar, cantar, cantei (bis)
Pai Joaquim senta no toco 
filho de pemba não bambeia 
procurei nos quatro cantos só pra ver se tem areia (bis)

PAI MANÉ

Pai Mané, é de Angola é (4x)
Ele vem de longe caminhando de mansinho
Pra ajudar seus filhos que procuram seu carinho (bis)

PAI BENGUELA

Vem das costas da Africa, 
Pai Benguela vem trabalhar,
Vem das costas da Africa 
No barquinho de Iemanjá (bis)
Vem firmar seu ponto na areia de Oxalá
Para sarava os seus filhos no conga (bis) 

VOVÓ JOANA

Vem, vem, vem, quem vem no redemoinho (bis) 
É vovó Joana que vem pitando seu cachimbo (bis)
Vem defumar os filinhos atendendo a Iemanjá
Tirando toda mandinga, levando pro fundo do mar (bis)

PONTO DE PRETO VELHO
Eu vi velho do rio sentado na pedra fria, 
com o seu rosário rezando Ave Maria (bis)
Que susto eu tive, quando avistei
Aquele velho sábio me apaixonei (bis)

PAI FABRÍCIO

Meu Pai Fabrício, na Umbanda é curador
Vem pro terreiro abençoar nosso conga
Oi viva as almas viva a Deus viva a meu Pai,
Quem caminha com esse velho só balança mas não cai (bis)

PONTO DE PRETO VELHO

Meu Santo Antônio pequenino
Olha esse mundo como está
Quem me abraçava antigamente
Hoje quer me apunhalar
Olha seu cordão preto,
Meu Santo Antônio
Eu também sou filho seu
Afastai meus inimigos,
Meu Santo Antônio
Pelo santo amor de Deus


PONTO DE PRETA VELHA

Ah! Vovó das almas, não me deixe andar sozinho
Toma conta dos inimigos, abre os meus caminhos
Se eu sou filho de Omulú, meu Pai, Meu Pai é Santo
Santo do Meu Axé, Santo do meu encanto

CAMBINA

Cambina mamanhê, Cambina Mamãenhã
Oi segura a Cambina que eu quero ver
Filhos de Umbanda não tem querer

VOVÓ CAMBINDA

Vovó Cambinda tem sua guia,
Trabalha de noite e reza de dia.
Vovó Cambinda quer encruzá,
Ponto de pemba no meu “congá” 

CAMBINDA

Agô pro Povo d’Angola,
Agô pro Povo de Mina,
Saravá as Santas Almas,
Agô pra Vovó Cambinda. (bis)

PONTO DE PRETA VELHA

Preta Velha que vem d’Aruanda,
Saravando atabaque e congá. (bis)
Oi Saravando seus filhos,
Na fé do Pai Oxalá. (bis)


PONTO DE PRETO VELHO

Eu adorei as almas, eu adorei
Eu adorei as almas
Eu adorei as almas, no dia de hoje
Eu adorei as almas
Almas, de PAI MANÉ, eu adorei
Almas, de MARIA CONGA, eu adorei
Eu adorei as almas, eu adorei
Eu adorei as almas
Eu adorei as almas, no dia de hoje
Eu adorei as almas
Almas, de VOVÓ CAMBINDA, eu adorei
Almas, de VÓ GUILHERMINA, eu adorei
Eu adorei as almas, no dia de hoje
Eu adorei as almas


VÓ CATARINA

Saudai essa estrela de Jesus
Ela guiou e aos seus filhos deu a mão
No terreiro de umbanda ela é a luz
Ela curou com sua vibração
A sua força vem lá do cruzeiro
A simplicidade é o que me fascina
A lágrima representa o cativeiro 
Anjo de Deus, salve a velha Catarina (bis)

VÓ CATARINA
Oi daí-lhes forças Jesus de Nazaré
Oi daí-lhes forças para vir trabalhar (bis)
Mas dizem que a umbanda tem mironga
Se tem mironga Catarina tem congá

VÓ CATARINA

Ela traz a sua rosa branca
E também traz a cruz de oxalá
Ela traz a sua rosa branca
E também traz a cruz de oxalá
Salve a velha catarina, salve a velha catarina
Que chegou neste congá
Salve a velha Catarina, salve a velha Catarina
Que chegou p´ra trabalhar

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Oração a Pai Xangó

Juntos Somos Mais Forte!

Alguns textos, poemas e fotos foram retirados de variados
sites, caso alguém reconheça algo como sua criação e não
tenha sido dado os devidos créditos entre em contato.
''A intenção deste blog não é de plágio, mas sim de espalhar conhecimento e manter viva a nossa historia"

Ass: Mariano de Xangó
mariano_xango@yahoo.com

O QUE SÃO OGÃNS?

O QUE SÃO OGÃNS?
Ser Ogam é muito mais do que ser aquela pessoa no fundo do Terreiro, tocando pontos para as entidades, médiuns e assistentes. Ser Ogam é participar de forma efetiva e consciente nos trabalhos. Isso exige conhecimento, humildade, concentração, responsabilidade, mediunidade e amor. O Ogam é o responsável pelo canto, pelo toque, pela sustentação, pela parte física e equilíbrio harmônico dos rituais. Diferente do que muita gente pensa, um Ogam pode incorporar, porém, a sua mediunidade manifesta-se normalmente, de forma diferente do restante do corpo mediúnico. Manifesta, principalmente, através da intuição, das suas mãos, braços e cordas vocais. Os atabaques, quando devidamente consagrados e ativados pelos Ogãns, são verdadeiros instrumentos de auxílio espiritual, pois são capazes de canalizar, concentrar e irradiar energias que tanto podem ser movimentadas pelo próprio Ogam como pelas entidades de trabalho para os mais diversos fins