20 setembro 2017

A Coordenadora Mary Regina convida a todas as casas de matriz africana a se fazerem presentes na sede da COEPPIR (Av. Hermes da Fonseca, 1009 - Tirol - Natal - próximo à AABB) às 13h no dia 25/09 (segunda-feira).



A Coordenadora Mary Regina convida a todas as casas de matriz africana a se fazerem presentes na sede da COEPPIR (Av. Hermes da Fonseca, 1009 - Tirol - Natal - próximo à AABB) às 13h no dia 25/09 (segunda-feira) com objetivo de se construir uma grande agenda contra a intolerância religiosa e o racismo. Participe! #COEPPIR #GovernodoRN #Povos #MatrizAfricana

18 setembro 2017

Milhares de Irmãos de Fé, Participam De Ato Contra a Intolerância Religiosa no Rio de Janeiro.



A FÉ QUE NOS MOVE É BEM MAIOR QUE O SEU PRECONCEITO
EU NÃO BATO NA SUA PORTA
EU NÃO QUEIMO A SUA BIBLIA
EU NÃO TE OBRIGO A IR NO MEU TERREIRO

RESPEITE A NOSSA FÉ 
Foto Rodrigo Cunha


Deputado federal Jean Wyllys



  


Pode parecer até estranho termos que marchar pedindo tolerância entre as pessoas, porque isto é o básico, o óbvio. Deveríamos estar marchando para celebrar a coexistência, mas sequer podemos nos orgulhar de ter dado o primeiro passo como sociedade. Ontem, falei sobre como o fundamentalismo religioso está servindo como pólvora para o renascimento de uma nova ditadura. Chefes do tráfico autodeclarados evangélicos estão atacando e destruindo terreiros nas comunidades no estado do Rio de Janeiro. O ódio contra imigrantes de países islâmicos também vêm produzindo cenas vergonhosas em todo o país. E isto para citar apenas dois exemplos!

Participei há pouco da 10ª Caminhada Pela Tolerância Religiosa, que há anos reúne candomblecistas, umbandistas, evangélicos, católicos, budistas, muçulmanos, judeus, wiccanos, harekrishnas, ciganos, mórmons, dentre outros, para celebrar a diversidade religiosa e o direito não só da crença, mas também da não-crença, em respeito também aos ateus e agnósticos. A crença ou a não-crença não deveria nos separar, mas nos tornar pessoas mais aptas ao amor. É por isto que marchamos!

Receba mais informações sobre o nosso mandato aderindo ao canal:http://telegram.me/jeanwyllys_real























Que mar de branco foi esse na orla?Que momento único e perfeito.Que postura de todos, que energia,qtos amigos, tantos abraços, qtas trocas de bênção. Simplesmente perfeito.



Milhares de pessoas participaram de ato contra a intolerância religiosa em Copacabana neste Domingo
Maíra Coelho / Agência O Dia

11 setembro 2017

Gostaria por meio deste blog Mariano de Xangó fazer um apelo as autoridades competentes DA CIDADE DE AREIA BRANCA, OBS: a imagem da grande rainha do MAR IEMANJA foi destruída e nem uma providência foi tomada até o dia de hoje, queremos respeito pela nosso religião Matriz Africana.



Venho aqui mais uma vez fala sobre esse desrespeito com a nosso povo de Matriz africana, 

A um tempo atrás uma imagem de Iemanjá foi colocada em nossa cidade, especificamente na praia de Upanema em um local perfeitamente adequado e respeitoso para a nossa imagem de Iemanjá, mais desrespeitosa-mente foi retirada do local a pedido de um político da época, quero aqui deixar uma frase para essa pessoa, Oxalá, Alá, Jeová, Buda, Deus, Vários nomes e um só Deus. Respeite a minha religião e eu respeitarei a sua, desrespeite a minha religião e eu respeitarei a sua, o seu preconceito é falta de conhecimento, o meu respeito é puro conhecimento, fica ai a dica para você,



E depois disso a imagem de Iemanjá foi jogada no local na praia de Upanema, a onda só tinha lixo, e lá a mesmo foi destiorando ao passar do tempo, não tivemos nem uma resposta e nem um apoio da prefeitura nem dos órgão competente da época, e ate o dias de hoje não vejo nem um interesse sobre esse assunto que valeu e falou aqui neste blog, e não tivemos nenhuma explicação sobre esse desrespeito com a Mãe e Iemanjá e com nosso povo de Matriz África, sem fala que no ano passado no dia 31/12/2016, as 17:00hs, para acontecer o cortejo de Iemanja que já e tradição em nossa cidade, as casas de axé tiveram que pagar a balsa, não tivemos nem um apoio da prefeitura de Areia Branca – rn. 

OBS: a imagem da grande rainha do MAR foi destruída e nem uma providência foi tomada ate o dia de hoje, queremos respeito pela nosso religião Matriz Africana.

Esperamos Uma resposta imediata dos órgão competentes de nossa cidade... 

Ass: Mariano de Xangó

I Simpósio de Liberdade Religiosa - Limeira/SP - Dia: 13/09/2017 - 19 horas Local: Câmara Municipal de Limeira.

Quarta-feira, 13/09, 19 horas na Câmara Municipal de Limeira 
Participe!



I Simpósio de Liberdade Religiosa - Limeira/SP
Palestra com o Prof. Samuel Luz - Presidente da Associação Brasileira de Liberdade Religiosa e Cidadania - ABLIRC.
Presença de várias Lideranças Religiosas do Estado de São Paulo.
Realização: Fórum Inter-Religioso para uma Cultura de Paz e Liberdade de Crença do Município de Limeira.

Dia: 13/09/2017 - 19 horas
Local: Câmara Municipal de Limeira
Rua Pedro Zaccaria, 70 - Jd. Nova Itália - Limeira/SP
Apoio: ABLIRC - Associação Brasileira de Liberdade Religiosa e Cidadania, Fórum Inter-Religioso para uma Cultura de Paz e Liberdade de Crença do Estado de São Paulo, Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, Governo do Estado de São Paulo.


Fonte: 
Evandro Fernandes

09 setembro 2017

SEJUC publica Regimento Interno da Conferência Estadual da Igualdade Racial


A Secretaria de Estado da Justiça e da Cidadania (SEJUC), por meio da Portaria nº 601/2017 - GS/SEJUC, aprovou o Regimento Interno da IV Conferência Estadual de Promoção da Igualdade Racial, que será realizada nos dias 29 e 30 de novembro de 2017, no Município de Natal/RN. O Regimento Interno foi aprovado na reunião da Comissão Organizadora Estadual da Conferência nesta segunda-feira (04/09).

Segundo a Portaria, a realização do evento tem por objetivo geral, estabelecer diretrizes e avaliar a implementação de políticas públicas, ações, programas e projetos para promoção da igualdade racial e enfrentamento à discriminação em razão de raça, cor, etnia, religião e origem, em âmbito Estadual e Nacional; contribuir com o processo de construção do Plano Estadual de Políticas de Promoção da Igualdade Racial; e eleger a delegação do Rio Grande do Norte para a IV Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial.

Temáticas

O lema geral da IV Conferência Estadual de Promoção da Igualdade Racial é: "O Brasil na década dos afrodescendentes: reconhecimento, justiça, desenvolvimento e igualdade de direitos" que deverá ser discutido a partir da perspectiva de enfrentamento ao racismo institucional, nos seguintes eixos temáticos: I - Do reconhecimento dos afrodescendentes; II - Da garantia de justiça aos afrodescendentes; III - Do desenvolvimento dos afrodescendentes; e IV - Da discriminação múltipla ou agravada dos afrodescendentes.

Fonte:

08 setembro 2017

Prefeituras aderem ao Fórum Intergovernamental de Promoção da Igualdade Racial, do RN!


As Prefeituras de Goianinha, São Tomé, Parnamirim, Assú e Apodi, aderiram na terça-feira (05/09) ao Fórum Intergovernamental de Promoção da Igualdade Racial do Rio Grande do Norte (FIPIR-RN), criado pelo Governo do Estado e vinculado à Coordenadoria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (COEPPIR).

O FIPIR-RN é uma ferramenta própria de fomento à promoção da igualdade racial dentro da Administração Pública. O documento tem por finalidade institucionalizar a participação da sociedade nas formulações de políticas públicas, e na consolidação de parcerias para a implementação das políticas de promoção da igualdade racial, no âmbito do Estado e municípios.

O Conselheiro Nacional de Promoção da Igualdade Racial, Nuno Coelho, esteve presente acompanhando a reunião.

"A instalação do FIPIR-RN é um avanço institucional e que representa mais um compromisso do Governo do Estado, por intermédio da COEPPIR, em interiorizar e mobilizar as Prefeituras Municipais em prol da igualdade racial", afirmou a Coordenadora Mary Regina.

Além disso, foi tirado como encaminhamento da reunião uma capacitação sobre o combate ao racismo institucional e à intolerância religiosa com os professores dos Municípios presentes.


Sobre o FIPIR-RN

Criado pelo Governo do Estado, através do Decreto Estadual nº 26.847, de 12 de maio de 2017, o Fórum Intergovernamental de Promoção da Igualdade Racial do Rio Grande do Norte (FIPIR-RN) é um órgão colegiado, presidido pela Coordenadoria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (COEPPIR) da Secretaria de Estado da Justiça e da Cidadania (SEJUC). O FIPIR é um espaço permanente de diálogo entre Estado e municípios para definição de estratégias conjuntas na implementação da Política de Promoção da Igualdade Racial.

Fonte:

07 setembro 2017

Mais um Sagrado Invadido, Isso e Vergonha, O blog Mariano de Xangó repudia essa atitude covarde contra essa Casa, Isso e intolerância religiosa isso e crime!



Irmãos, a benção a todos, com muita tristeza relatamos mais um caso de intolerância religiosa no município de Nova Iguaçú. 
Recebemos a denúncia através de nossos grupos de WhatsApp, Luta Ancestral, e a rede Agenafro conseguiu relatos mais específicos e fotos sobre a ação.

















Dor, desespero, inconformidades ,revolta ,indignação, enfim, esses são os sentimentos de toda uma Comunidade de Matriz Africana, localizada no Parque Flora , bairro de Nova de Iguaçu na Baixada Fluminense, pois ontem o Barracão Ilê Asé Togun Jobi fora invadido por um grupo de homens e quebraram totalmente o barracão. Inúmeros assentamentos sagrados foram destruídos, imagens, locais sagrados, mesas, cadeiras, atabaques e cômodos revirados. Quartinhas e igbás de Orixas, esmigalhados, cozinha revirada e parte de destruída, armários, fios de contas e nem a mesa de jogos de búzios foi polpada.

A Agen Afro, que através das redes sociais identificou a ocorrência, fez contato com um filho do axé, Julinho D' Logun Ede, que nos confirmou que o ato ocorreu talvez durante ao dia, quando não tinha ninguém dentro do barracão, e afirmou não saber quem poderia fazer tamanha maldade. Suspeita-se que seja mais um caso de intolerância religiosa .

Choro e muita emoção de transtorno com esta situação.
Até quando vamos suportar tais coisas? Até quando o Poder Publico ficará em silêncio?

Lideranças de Matrizes Africanas e Afro Brasileiras estão espantadas até agora com o silêncio da Prefeitura e da Câmara Municipal de Nova Iguaçu, alguns moradores já estão se organizando para um manifesto em frente a sede da Prefeitura de Nova Iguaçu.

Somente a Secretaria de Estado de Direitos Humanos, apareceu, procurou saber informações e se propôs analisar e fazer alguns encaminhamentos .

As vitimas que até o presente momento não receberam uma visita de autoridades municipais e cobram do Prefeito Rogério Lisboa, que é evangélico, ações e politicas publicas de Igualdade Racial e de Direitos Humanos, aguarda –se também uma manifestação do Ministério Publico Estadual.

Fontes: Rede Agen Afro.

Oração a Pai Xangó

Juntos Somos Mais Forte!

Alguns textos, poemas e fotos foram retirados de variados
sites, caso alguém reconheça algo como sua criação e não
tenha sido dado os devidos créditos entre em contato.
''A intenção deste blog não é de plágio, mas sim de espalhar conhecimento e manter viva a nossa historia"

Ass: Mariano de Xangó
mariano_xango@yahoo.com

O QUE SÃO OGÃNS?

O QUE SÃO OGÃNS?
Ser Ogam é muito mais do que ser aquela pessoa no fundo do Terreiro, tocando pontos para as entidades, médiuns e assistentes. Ser Ogam é participar de forma efetiva e consciente nos trabalhos. Isso exige conhecimento, humildade, concentração, responsabilidade, mediunidade e amor. O Ogam é o responsável pelo canto, pelo toque, pela sustentação, pela parte física e equilíbrio harmônico dos rituais. Diferente do que muita gente pensa, um Ogam pode incorporar, porém, a sua mediunidade manifesta-se normalmente, de forma diferente do restante do corpo mediúnico. Manifesta, principalmente, através da intuição, das suas mãos, braços e cordas vocais. Os atabaques, quando devidamente consagrados e ativados pelos Ogãns, são verdadeiros instrumentos de auxílio espiritual, pois são capazes de canalizar, concentrar e irradiar energias que tanto podem ser movimentadas pelo próprio Ogam como pelas entidades de trabalho para os mais diversos fins