29 novembro 2014

Terreiros de candomblé em Salvador passam a ter mesmo direito de igrejas

O decreto foi assinado pelo prefeito ACM Neto                                 Foto: Valter Pontes

Foi publicado no Diário Oficial do Município (DOM) desta quinta-feira (20/11) o decreto assinado pelo prefeito ACM Neto que reconhece os terreiros de Candomblé para fins jurídicos e administrativos, a exemplo do que já ocorre com outros templos religiosos, como as igrejas.

Na prática, com esse decreto, as organizações ligadas aos povos e comunidades de terreiros passam a ter benefícios tributários, inclusive imunidade.

O decreto foi assinado pelo prefeito na solenidade de inauguração do novo Observatório Permanente da Discriminação Racial e Violência contra LGBT, localizado no Clube de Engenharia, na Rua Carlos Gomes, e é um marco importante na história de Salvador neste Dia Nacional da Consciência Negra.

Com o decreto, além de benefícios tributários, os terreiros terão mais facilidade para fazer regularização fundiária e se organizar juridicamente como instituições.

São englobados pelo decreto, além dos terreiros, povos e comunidades como Unzon, Mansu, Centros de Caboclo, Centros de Umbanda, Kimbanda, Ilê, Ilê Axé, Kwé e Humpame.

Cabe à Secretaria Municipal de Reparação organizar, atualizar e disponibilizar aos entes públicos, através do seu sistema de informática, o banco de dados contendo o registro dessas comunidades existentes em Salvador. 

Estima-se que na capital baiana existam mais de 1,2 mil espaços como esse. "O objetivo é proteger o patrimônio religioso, material e imaterial do segmento religioso em questão", afirmou a secretária municipal de Reparação, Ivete Sacramento. Ela frisou que o decreto reconhece que cada templo religioso de matriz africana tem uma etnia que deve ser reconhecida como tal, sem necessidade de assumir outras denominações que não expressem sua natureza eminentemente religiosa. 

"Essas entidades possuem formas próprias de organização e são de extrema importância cultural, social e econômica, utilizando conhecimentos, inovações e práticas geradoras e transmitidos pela tradição", disse Ivete Sacramento, citando um dos trechos do decreto, que foi recebido com vibração na solenidade de inauguração do Observatório Permanente da Discriminação Racial e Violência contra LGBT, inclusive pelo presidente do Conselho Municipal das Comunidades Negras, Eurico Alcântara. "É um avanço histórico. Há muito tempo a gente lutava por isso", salientou. 

ACM Neto frisou que a Prefeitura vai continuar trabalhando pela reparação, no combate ao racismo, inclusive no âmbito do poder público municipal, e para valorizar a cultura de matriz africana. "A partir desse decreto, as instituições enquadradas nessas características passam a gozar de todas as prerrogativas dos templos de outras religiões, inclusive do ponto de vista tributário".

Colégio ETEC Trajano Camargo - Limeira/SP


Workshop sobre religiões realizado hoje, 28/11/2014 no ETEC Trajano Camargo - Limeira/SP
Responsável: Prof. Roberson Marcomini
Tivemos a honra de participar desse lindo e importante evento organizado pelo nosso querido irmão Roberson.
São iniciativas como essa que possibilitarão um futuro de paz e respeito entre as religiões.
Parabéns à todos os envolvidos!
Obs.: As imagens e artigos de umbanda e candomblé utilizados nas apresentações foram gentilmente cedidos pela Mironga Artigos Religiosos e Esotéricos.
Agradeço ao Babalòrisá Hermes Kazi Kaòbatìná e a Profa. Danyele pelas orientações ao grupo do Candomblé!
Informações sobre a Umbanda foram passadas em entrevista realizada na Tenda de Umbanda Pai Joaquim D´Angola e Exú Tiriiri (TUPJAET) - Limeira/SP.
Dia de Luz e Bençãos!




Babalorixá Evandro Fernandes com os alunos





26 novembro 2014

Campanha de enfrentamento ao Racismo no SUS DIGA ALÔ PARA O TEL 136 CONTRA RACISMO NO SUS...

Com a fala, Mãe Dora de Oyá. Crédito: Erasmo Salomão 
 
Hoje, 25 de novembro, foi lançada pelo Ministério da Saúde e Secretaria de Direitos Humanos a campanha publicitária inédita de combate ao racismo no Sistema Único de Saúde (SUS), com o slogan Racismo faz mal à saúde. Denuncie!. A ação é mais um marco para a promoção da saúde do negro no Brasil e tem como objetivo conscientizar a população e profissionais da área sobre a existência do racismo no SUS e a importância de enfrentá-lo.
Por meio do Disque Saúde 136 é possível denunciar qualquer situação de racismo ou obter informações sobre doenças mais comuns entre a população negra e que exigem um maior acompanhamento. A
página oficial da campanha já está no ar. Saiba como participar e, não fique em silêncio, compartilhe nas redes sociais.
O evento de lançamento foi iniciado com o pronunciamento de três representantes de religiões de matrizes africanas, em referência à diversidade da população negra. Entre eles, Doralina Fernandes Barreto Régis, a Mãe Dora de Oyá, que ressaltou a necessidade da mudança do comportamento dos profissionais de saúde em relação à população preta e parda. “Acho que essa campanha é o início da preparação diferenciada dos profissionais para atenderem um público que tem as suas especificidades, que é o negro. Hoje é um marco para as políticas públicas de saúde da população negra e é uma questão de direitos humanos que tem que mudar mesmo”, defende.
O Ministro da Saúde, Arthur Chioro, salientou os dados que atestam a existência do racismo institucional no SUS e a necessidade de reconhecer a realidade para que esta seja modificada. “Apenas 62,5% das mulheres negras receberam informações sobre a importância do aleitamento materno, enquanto 77,7% das mulheres brancas foram orientadas. O que justifica este dado se não o preconceito e o racismo institucional?”, indagou.
A campanha traz ainda dados sobre doenças que atingem com maior incidência a população negra, como a Hipertensão, Diabetes Melitus tipo II, cuja taxa de mortalidade, a cada 100 mil habitantes, afeta na população negra 34,1 habitantes e entre a branca, 22,7. Além da Anemia Falciforme, que pode ser encontrada em frequências que variam de 2% a 6% na população brasileira em geral, e de 6% a 10% na população negra. A doença é grave e deve ser diagnosticada precocemente por meio do teste do pezinho.
Maria Zenó Soares, presidente da Federação Nacional das Associações de Pessoas com Doença Falciforme (FENAFAL), participou do evento como representante da população negra. “O que nós esperamos é sermos respeitados como seres humanos. Temos os mesmos deveres e, portanto, os mesmos direitos. Às vezes a pessoa está sofrendo racismo e não sabe. Por isto essa campanha é importante. Se o negro não for atendido como deve ser por questões de pele, ele tem que denunciar”, incentiva.
A ministra-chefe da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República, Ideli Salvatti, apontou, que mesmo com os avanços recentes de inclusão e acesso à saúde, educação e economia da população negra, ainda há necessidade da mudança e reconhecimento do racismo, além do SUS, em outras esferas de gestão. “Nenhum país que tem 300 anos de escravidão supera com rapidez os malefícios na economia, saúde, cultura e no imaginário social. A escravatura socioeconômica permaneceu e permanece até hoje”, afirma.
Este ano, além do lançamento da campanha, o Ministério da Saúde publicou o II Plano Operativo da Política Nacional de Saúde Integral da População Negra e lançou o Módulo da UnaSUS Saúde Integral da População Negra, disponível
aqui.
Não deixe de curtir
SUS sem Racismo.

Fonte: Bia Magalhães / Blog da SaúdeEsse post faz parte de
#destaques e possui as seguintes tags: Doença Falciforme, população negra, #destaques, #SUSsemRacismo, Racismo faz mal à saúde. Denuncie!.
Há ainda uma linha direta com a Central de Atendimento à Mulher (Disque 180) que oferece orientação de enfrentamento à violência contra a mulher.



 

Fonte: http://mandacarurn.blogspot.com.br/

Homenagem a Yemanjá dia 06/12/14


Meus irmãos,
Estaremos realizando nossa Homenagem a Yemanjá e os Marinheiros na noite e madrugada do dia 06/12 para o dia 07/12/2014.
Local: ÁREA 23 da FUGABC, Praia de Agenor de Campos, Mongaguá/SP.
Início: 21:00hs de 06/12/2014
Vamos agradecer e saudar a Rainha do Mar e os queridos Marinheiros!
Odoyá!
Salve a Marujada!


20 novembro 2014

20 de Novembro Dia da Consciência Negra

podemos ser negros ou branco, de religiões e
crenças diferentes.
todos merecem respeito e oportunidades
todos mundo tem sua beleza e importância nesse mundo
somos todos iguais por dentro, e filhos de Deus!

19 novembro 2014

Abertura do VI Colóquio Sobre questões Étnicas no Nordeste Brasileiro (Mossoró R/N)


Noite Ricaaaaa!!!!!

E Assim foi a Noite de Abertura do VI Colóquio Sobre questões Étnicas no Nordeste Brasileiro.

Seguindo a Programação:
Apresentação do Estrela Da Manhã Afoxé

Conferência de Abertura: "Educação e Promoção da Igualdade Racial: Balanços e Desafios;
Expositor: Prof. Dr. Pedro Barbosa (UNESP-ARARAQUARA)
UERN~MOSSORÓ/RN

Pau E Lata Projeto
‪#‎PauELataMossoró‬
Ilê Axé Dajô Obá Ogodô
‪#‎AfoxéEstrelaDaManhã‬
‪#‎RedeDeJovensDeTerreirosdoRN‬
‪#‎IlêAxéDajôBabáElejobô‬












18 novembro 2014

Tenda de Umbanda Pai Joaquim D´ Angola e Exu Tiriri ( Pai Evandro Fernandes )

 
 
Prestando contas à comunidade:
Como prometido, hoje entregamos os alimentos que foram arrecadados na entrada do evento 2° Dia da Umbanda em Limeira, em doação à Associação Casa da Criança Santa Terezinha de Limeira e ao Asilo João Kühl Filho de Limeira.
Muito obrigado à todos que colaboraram, esperamos que no próximo ano consigamos arrecadar ainda mais alimentos para podermos ajudar aos irmãos mais necessitados!
Em anexo algumas fotos e as declarações de recebimento dos mesm...os.
Que Zâmby (Pai Criador de Tudo e de Todos) e Pai Oxalá (Nosso Senhor Jesus Cristo) os abençoe!
Saravá fraterno!
 
 



 
 
 muito axé pra vc irmão e Pai Evandro Fernandes


16 novembro 2014

2º Dia da Umbanda em Limeira Casa de Pai Joaquim D´Angola e Exú Tiriri (TUPJAET) - Pai Evandro e Mãe Zilda

Casa de Pai Joaquim D´Angola e Exú Tiriri (TUPJAET) - Pai Evandro e Mãe Zilda. 
Agradecimento à todos os que nos apoiaram e participaram desse momento tão especial:
Pai José Octavio N. Passos - Fraternidade Socorrista Mãe Iemanjá e Baiano Zeferino - URUZOGSP - São Paulo/SP;
Mãe Dirceia Fernandes - Templo de Umbanda Vovó Catarina e Baiano Zé do Côco - Carapicuiba/SP
Pai Tadeu Ricardo - Centro de Umbanda Anjos da Caridade - Nova Odessa/SP;
Pai Eli Borsetti - Organização Religiosa Fraternal Boa Esperança - Americana/SP;
Mãe Gisele Ferreira e Pai Leandro de Ogum - Templo Umbandista Luz de Iemanjá - Santa Bárbara D´Oeste/SP;
Mãe Marissol Nascimento - Federação de Umbanda e Candomblé Mãe Senhora Aparecida - Piracicaba/SP;
Pai Adilson Ramos e Mãe Christiane - Tenda de Caridade Caboclo do Sol e Caboclo Pedra Azul - Americana/SP;
Mãe Nesilda e Pai André - Tenda de Umbanda Chico Feiticeiro e Mané Baiano - Limeira/SP;
Mãe Rosi - Casa Iansã e Sultão das Matas - Limeira/SP;
Pai Fernando - Ilê de Oxaguiã e Caboclo Pena Branca - Limeira/SP;
Pai Nagô de Jurema e Mãe Michele de Iansã - Tenda do Caboclo Reis Malunguinho e Mestre José dos Anjos - Limeira/SP;
Mãe Branca Juremeira - Centro Espírita Mestre José de Santana e Caboclo Pena Branca - Limeira/SP;
Jose Carlos Pazelli Junior - Tenda de Umbanda Caboclo Terra Roxa - Limeira/SP;
Augustinho Aparecido Martins - Casa de Caridade Mãe Maria Conga - Limeira/SP;
Ana Rosa Cordeiro Barbosa - Casa de Pai Meu - Limeira/SP
Djalma Antonio dos Santos - CONEPIR - Conselho Municipal de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra de Piracicaba 
- Piracicaba/SP;
Jose Benedito de Barros - Ieg Limeira e Movimento Ginga - Limeira/SP;
Mestre Paçoca - Capoeira IUNA - Limeira/SP;























Oração a Pai Xangó

Juntos Somos Mais Forte!

Alguns textos, poemas e fotos foram retirados de variados
sites, caso alguém reconheça algo como sua criação e não
tenha sido dado os devidos créditos entre em contato.
''A intenção deste blog não é de plágio, mas sim de espalhar conhecimento e manter viva a nossa historia"

Ass: Mariano de Xangó
mariano_xango@yahoo.com

O QUE SÃO OGÃNS?

O QUE SÃO OGÃNS?
Ser Ogam é muito mais do que ser aquela pessoa no fundo do Terreiro, tocando pontos para as entidades, médiuns e assistentes. Ser Ogam é participar de forma efetiva e consciente nos trabalhos. Isso exige conhecimento, humildade, concentração, responsabilidade, mediunidade e amor. O Ogam é o responsável pelo canto, pelo toque, pela sustentação, pela parte física e equilíbrio harmônico dos rituais. Diferente do que muita gente pensa, um Ogam pode incorporar, porém, a sua mediunidade manifesta-se normalmente, de forma diferente do restante do corpo mediúnico. Manifesta, principalmente, através da intuição, das suas mãos, braços e cordas vocais. Os atabaques, quando devidamente consagrados e ativados pelos Ogãns, são verdadeiros instrumentos de auxílio espiritual, pois são capazes de canalizar, concentrar e irradiar energias que tanto podem ser movimentadas pelo próprio Ogam como pelas entidades de trabalho para os mais diversos fins