25 março 2017

No último sábado 21/03, tive o imenso prazer de voltar a palestrar no Fórum do Petrônio, onde a troca de saberes foi de alto nível



No último sábado 21/03, tive o imenso prazer de voltar a palestrar no Fórum do Petrônio, onde a troca de saberes foi de alto nível.

Este fórum, que é coordenado pelo querido professor Moisés, pastor evangélico, que rege este grupo de alunos (onde mais de 70% são de fé evangélica) a mais de 5 anos, me deu a possibilidade de ter uma conversa ampla e aberta sobre Preconceito Religioso e Jurema Sagrada. Foi mágico...

Falei por quase 3h e os mais de 50 alunos e alunas presentes não piscaram os olhos... E fizeram perguntas muito aprofundadas sobe o tema. Fiquei por demais perplexo em ver um grupo de alunos de escola pública tão qualificado para a discussão inter-religiosa com respeito e idoneidade.

Claro que isso é fruto da luta do professor Moisés e seus parceiros como Carlos Vieira, Mestre em ciências da religião, que contribuiu também na discussão. A gestão da Escola também merece os parabéns, pois se demonstrou completamente aberta para esta atividade de sucesso.

Obrigado a Maria Betânia por ter registrado pra mim esta foto, um momento tão interessante e excitante para quem discute religião como eu.

Falei de Jurema à educação nas escolas, de "satanás do inferno" à "Jesus Nazaré", e de intolerância religiosa à vida em coexistência em paz. Foi lindo.

Parabéns demais aos realizadores deste trabalho que merece ter visibilidade nacional pelo pelo valor que tem.

Salve a fumaça! 
Sobô Nirê!

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Oração a Pai Xangó

Juntos Somos Mais Forte!

Alguns textos, poemas e fotos foram retirados de variados
sites, caso alguém reconheça algo como sua criação e não
tenha sido dado os devidos créditos entre em contato.
''A intenção deste blog não é de plágio, mas sim de espalhar conhecimento e manter viva a nossa historia"

Ass: Mariano de Xangó
mariano_xango@yahoo.com

O QUE SÃO OGÃNS?

O QUE SÃO OGÃNS?
Ser Ogam é muito mais do que ser aquela pessoa no fundo do Terreiro, tocando pontos para as entidades, médiuns e assistentes. Ser Ogam é participar de forma efetiva e consciente nos trabalhos. Isso exige conhecimento, humildade, concentração, responsabilidade, mediunidade e amor. O Ogam é o responsável pelo canto, pelo toque, pela sustentação, pela parte física e equilíbrio harmônico dos rituais. Diferente do que muita gente pensa, um Ogam pode incorporar, porém, a sua mediunidade manifesta-se normalmente, de forma diferente do restante do corpo mediúnico. Manifesta, principalmente, através da intuição, das suas mãos, braços e cordas vocais. Os atabaques, quando devidamente consagrados e ativados pelos Ogãns, são verdadeiros instrumentos de auxílio espiritual, pois são capazes de canalizar, concentrar e irradiar energias que tanto podem ser movimentadas pelo próprio Ogam como pelas entidades de trabalho para os mais diversos fins