14 abril 2015

A Confraria dos Pretos Velhos de Umbanda é uma irmandade criada pela Tenda de Umbanda Pai Joaquim D´Angola e Exú Tiriri - TUPJAET e suas tendas descendentes.


CONFRARIA DOS PRETOS VELHOS DE UMBANDA

A Confraria dos Pretos Velhos de Umbanda é uma irmandade criada pela Tenda de Umbanda Pai Joaquim D´Angola e Exú Tiriri - TUPJAET e suas tendas descendentes.

O brasão da Confraria dos Pretos Velhos de Umbanda contém um toco de árvore, um cachimbo, uma cruz e ramos de ervas, simbolizando o primeiro ponto cantado da Umbanda, em homenagem a Pai Antônio, preto velho de Pai Zélio de Morais e que contava um pouco da história desse preto velho, trazendo também uma das primeiras ritualísticas da Umbanda, que é a oferenda a uma entidade incorporada.

O ponto é esse:
"Meu cachimbo está no toco
Manda moleque buscar
(bis)
No alto da derrubada
Meu cachimbo ficou lá
(bis)
Que arruda tão bonita
Que Vovó mandou arrancar
(bis)
Mas não chore meu netinho
Que Vovó manda plantar

(bis)"



 

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Oração a Pai Xangó

Juntos Somos Mais Forte!

Alguns textos, poemas e fotos foram retirados de variados
sites, caso alguém reconheça algo como sua criação e não
tenha sido dado os devidos créditos entre em contato.
''A intenção deste blog não é de plágio, mas sim de espalhar conhecimento e manter viva a nossa historia"

Ass: Mariano de Xangó
mariano_xango@yahoo.com

O QUE SÃO OGÃNS?

O QUE SÃO OGÃNS?
Ser Ogam é muito mais do que ser aquela pessoa no fundo do Terreiro, tocando pontos para as entidades, médiuns e assistentes. Ser Ogam é participar de forma efetiva e consciente nos trabalhos. Isso exige conhecimento, humildade, concentração, responsabilidade, mediunidade e amor. O Ogam é o responsável pelo canto, pelo toque, pela sustentação, pela parte física e equilíbrio harmônico dos rituais. Diferente do que muita gente pensa, um Ogam pode incorporar, porém, a sua mediunidade manifesta-se normalmente, de forma diferente do restante do corpo mediúnico. Manifesta, principalmente, através da intuição, das suas mãos, braços e cordas vocais. Os atabaques, quando devidamente consagrados e ativados pelos Ogãns, são verdadeiros instrumentos de auxílio espiritual, pois são capazes de canalizar, concentrar e irradiar energias que tanto podem ser movimentadas pelo próprio Ogam como pelas entidades de trabalho para os mais diversos fins