20 setembro 2014

Mãe Stella de Oxóssi inaugura, em ônibus adaptado, biblioteca itinerante com livros ligados à espiritualidade

Mãe Stella de Oxóssi, 89 anos, lançou seu oitavo livro em evento que apresentou biblioteca móvel

Ônibus que abrigará biblioteca itinerante foi apresentado no evento (Fotos: Betto Jr)

Mãe Stella de Oxóssi, 89 anos, lançou seu oitavo livro O Que As Folhas Cantam (Para Quem Canta Folha) em evento, ontem à noite, no Terreiro Ilê Axé Opô Afonjá, em São Gonçalo do Retiro.

Além do lançamento, a ialorixá comemorou 75 anos de iniciação religiosa e também comandou a reabertura da Biblioteca Maria Stella de Azevedo Santos, localizada no Afonjá. “Não é fácil, mas é gostoso. São coisas gratificantes, fruto do reconhecimento do meu trabalho”, afirmou Mãe Stella, que recebeu os cumprimentos de filhos de santo, amigos e admiradores, todos devidamente vestidos com roupas claras.
Na noite de ontem, Mãe Stella lançou seu oitavo livro e reabriu a biblioteca do terreiro

Ainda na noite de ontem, um ônibus que funcionará como uma biblioteca itinerante foi apresentado. Nele, haverá um acervo de obras ligadas à espiritualidade.

O evento começou com breve apresentação do novo livro. Nele, a ialorixá fala sobre o poder das folhas que servem como remédio para o corpo, alma e espírito. Para isso, Mãe Stella reuniu 60 cânticos em iorubá (com traduções para o português), mitos referentes às plantas e à classificação científica de cada uma. O livro de 272 páginas conta com ilustrações nas quais pode se identificar a relação entre o nome científico da planta, seu nome em iorubá e também como ela é popularmente conhecida.

Quem tiver interesse em adquirir, os exemplares estão à venda no terreiro e na livraria Cultura do Salvador Shopping e custam R$ 200 (versão com capa dura) e R$ 150 (capa mole).

"Religião é a coisa melhor do mundo, mas precisamos da cultura para ensinar", disse Mãe Stella, sobre a nova biblioteca

Depois de apresentar o livro, Mãe Stella reabriu a biblioteca que leva seu nome, na qual cada estante é dedicada a um orixá. “Religião é a coisa melhor do mundo, mas muitas vezes ela fala ao nosso coração, então precisamos também da cultura para ensinar”, ressaltou a religiosa, que há um ano ocupa a cadeira 33 da Academia de Letras da Bahia.

Após breve passagem pela biblioteca, Mãe Stella se deslocou para o ônibus e fez questão de tocá-lo. A biblioteca itinerante começará a funcionar a partir do dia 15 de novembro e contará com cerca de 300 títulos que vão abordar curiosidades de todas as religiões.
Público prestigiou o lançamento do livro O Que As Folhas Cantam

Antes da inauguração, durante a Festa Literária Internacional de Cachoeira (Flica), que acontece entre 29 de outubro e 2 de novembro, o ônibus abrigará uma exposição sobre Mãe Stella, que será a homenageada da quarta edição do evento literário.

“Gratificante demais. Receber uma homenagem em vida é muito bom”, afirmou a ialorixá, que estará presente durante toda a Flica. Mãe Stella participará ainda de uma mesa específica na qual será entrevistada pelo escritor e historiador Jaime Sodré.

Fonte: http://www.correio24horas.com.br/
Camila Botto (camila.botto@redebahia.com.br)

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Oração a Pai Xangó

Juntos Somos Mais Forte!

Alguns textos, poemas e fotos foram retirados de variados
sites, caso alguém reconheça algo como sua criação e não
tenha sido dado os devidos créditos entre em contato.
''A intenção deste blog não é de plágio, mas sim de espalhar conhecimento e manter viva a nossa historia"

Ass: Mariano de Xangó
mariano_xango@yahoo.com

O QUE SÃO OGÃNS?

O QUE SÃO OGÃNS?
Ser Ogam é muito mais do que ser aquela pessoa no fundo do Terreiro, tocando pontos para as entidades, médiuns e assistentes. Ser Ogam é participar de forma efetiva e consciente nos trabalhos. Isso exige conhecimento, humildade, concentração, responsabilidade, mediunidade e amor. O Ogam é o responsável pelo canto, pelo toque, pela sustentação, pela parte física e equilíbrio harmônico dos rituais. Diferente do que muita gente pensa, um Ogam pode incorporar, porém, a sua mediunidade manifesta-se normalmente, de forma diferente do restante do corpo mediúnico. Manifesta, principalmente, através da intuição, das suas mãos, braços e cordas vocais. Os atabaques, quando devidamente consagrados e ativados pelos Ogãns, são verdadeiros instrumentos de auxílio espiritual, pois são capazes de canalizar, concentrar e irradiar energias que tanto podem ser movimentadas pelo próprio Ogam como pelas entidades de trabalho para os mais diversos fins