29 agosto 2016

A intolerância religiosa foi tema de debate na Câmara Municipal de Areia Branca-RN, nesta sexta-feira (26), as 19h. O assunto é a temática principal do 13º Encontro de Religiosos de Matriz Africana da cidade, promovido pela Casa de Cultura de Matriz Africana Ilê Asé Dajó Ìyá Omì Sàbá.

O Babalorixá Noamã Pinheiro, palestrantes e convidados discutirão sobre o assunto em diversas perspectivas. “Sabemos que os adeptos de candomblé e umbanda são vítimas cotidianas de preconceito e intolerância por suas crenças e convicções, mas seguidores de outras doutrinas bastante difundidas como o cristianismo e o espiritismo também são atacados de diversas formas”, explicou.
Babalorixá Melquisedeque!

Mesa composta por Babalorixá Noamã Pinheiro, Babalorixá Melquisedeque, Mãe de Santo Kathia Cruz e a antropóloga Eliane Anselmo!



  
Babalorixá Noamã Pinheiro,Kathia Cruz e a antropóloga Eliane Anselmo!

Babalorixá Noamã Pinheiro, Babalorixá Melquisedeque, Mãe de Santo Kathia Cruz e a antropóloga Eliane Anselmo!




Vídeo da Palestra!

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Oração a Pai Xangó

Juntos Somos Mais Forte!

Alguns textos, poemas e fotos foram retirados de variados
sites, caso alguém reconheça algo como sua criação e não
tenha sido dado os devidos créditos entre em contato.
''A intenção deste blog não é de plágio, mas sim de espalhar conhecimento e manter viva a nossa historia"

Ass: Mariano de Xangó
mariano_xango@yahoo.com

O QUE SÃO OGÃNS?

O QUE SÃO OGÃNS?
Ser Ogam é muito mais do que ser aquela pessoa no fundo do Terreiro, tocando pontos para as entidades, médiuns e assistentes. Ser Ogam é participar de forma efetiva e consciente nos trabalhos. Isso exige conhecimento, humildade, concentração, responsabilidade, mediunidade e amor. O Ogam é o responsável pelo canto, pelo toque, pela sustentação, pela parte física e equilíbrio harmônico dos rituais. Diferente do que muita gente pensa, um Ogam pode incorporar, porém, a sua mediunidade manifesta-se normalmente, de forma diferente do restante do corpo mediúnico. Manifesta, principalmente, através da intuição, das suas mãos, braços e cordas vocais. Os atabaques, quando devidamente consagrados e ativados pelos Ogãns, são verdadeiros instrumentos de auxílio espiritual, pois são capazes de canalizar, concentrar e irradiar energias que tanto podem ser movimentadas pelo próprio Ogam como pelas entidades de trabalho para os mais diversos fins