14 janeiro 2015

IX Kipupa Malunguinho - Coco na Mata do Catucá

Decidi fazer este álbum com antecedência para podermos todos nós Povo da Jurema publicarmos nossas fotos aqui. Quem estiver se organizando para vir ao Kipupa Malunguinho - Coco na Mata do Catucá, poed ir colocando aqui todo processo que estão desenvolvendo...

Quem desejar colocar fotos no álbum me solicita que coloco como administador também.

Isso vai servir para Pai Juremeiro Freitas, Joana Mestra Juremeira, Leandro Paz, Juremeiro Neto, Iracema Albuquerque, Rômulo Ka'arub Angélico, PaiCelio Rodrigues, Jeff Celophane e tantos outros de PE, PB, RN, RJ, DF, GO, RS, AC, SP, SE, AL, CE, MG etc, que estão vindo para o evento.

Hoje o Kipupa tem a diversidade de Estados do Brasil encontradas nele entorno da Jurema. Isso é motivo de grande orgulho para todos nós.

Publicarei também aqui fotos da Semana da Vivência e Prática da Cultura Afro Pernambucana. Lei Malunguinho 13.298/07.

Vamos simbora povo da jurema. É nossa hora e vez!!! Salve a fumaça!!!!

 Barrufada para abrir os caminhos Alexandre L'Omi L'Odò (Foto de Joelson Souza)
Juremeiro Ary Bantu firmando na fumaça (Foto de Joelson Souza)
Juremeiro Alano de São Lourenço da Mata (Foto de Joelson Souza)
O Povo da Jurema já reconheceu o Kipupa Malunguinho - Coco na Mata do Catucá como o maior evento de Jurema do Brasil (Foto de Joelson Souza)
 Firmações dos mestres.

Entrando na mata (Foto de Joelson Souza)

 O Povo da Jurema unido na luta


Firmação da ciência mestra do Reis Malunguinho (Foto de Joelson Souza.)

Mãe Graça. Grande Juremeira e umbandista (Foto de Joelson Souza)


Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Oração a Pai Xangó

Juntos Somos Mais Forte!

Alguns textos, poemas e fotos foram retirados de variados
sites, caso alguém reconheça algo como sua criação e não
tenha sido dado os devidos créditos entre em contato.
''A intenção deste blog não é de plágio, mas sim de espalhar conhecimento e manter viva a nossa historia"

Ass: Mariano de Xangó
mariano_xango@yahoo.com

O QUE SÃO OGÃNS?

O QUE SÃO OGÃNS?
Ser Ogam é muito mais do que ser aquela pessoa no fundo do Terreiro, tocando pontos para as entidades, médiuns e assistentes. Ser Ogam é participar de forma efetiva e consciente nos trabalhos. Isso exige conhecimento, humildade, concentração, responsabilidade, mediunidade e amor. O Ogam é o responsável pelo canto, pelo toque, pela sustentação, pela parte física e equilíbrio harmônico dos rituais. Diferente do que muita gente pensa, um Ogam pode incorporar, porém, a sua mediunidade manifesta-se normalmente, de forma diferente do restante do corpo mediúnico. Manifesta, principalmente, através da intuição, das suas mãos, braços e cordas vocais. Os atabaques, quando devidamente consagrados e ativados pelos Ogãns, são verdadeiros instrumentos de auxílio espiritual, pois são capazes de canalizar, concentrar e irradiar energias que tanto podem ser movimentadas pelo próprio Ogam como pelas entidades de trabalho para os mais diversos fins