13 dezembro 2016

Neste sábado, a Tenda de Umbanda Pai Joaquim D'Angola e Exú Tiriri, realizou uma linda homenagem a Yemanjá e aos Marinheiros na Praia de Agenor de Campos!



Neste sábado, a Tenda de Umbanda Pai Joaquim D'Angola e Exú Tiriri, realizou uma linda homenagem a Yemanjá e aos Marinheiros na Praia de Agenor de Campos, em Mongaguá.
Agradecemos a todos que prestigiaram esse lindo trabalho, e aos filhos pelo carinho e dedicação. Na ocasião recebemos a visita dos irmãos Mãe Sandra Regina e Pai Ronald Edy de Xangô, da Sensorial FM.
Nosso muito obrigado a Federação Umbandista do Grande ABC, na pessoa de Pai Ronaldo Linares, pela estrutura e organização do evento.
Que nossa Mãe Yemanjá possa abençoar a todos!

































Em Mongaguá, noite de sábado 10/12 e madrugada de domingo 11/12.
Tudo maravilhoso. Energia, organização, capricho, Amor!
Encerramos o ano litúrgico da forma que mais gostamos, honrando nosso Criador, nossas Mães e Pais Orixás, nossas queridas Entidades Espirituais, numa gira completa, repleta de Bênçãos!
Louvamos a Rainha do Mar que com suas águas salgadas fez a limpeza de nosso perispírito, elevou nossa alma, afagou nossos corações!
Agradecemos aos sempre prestativos trabalhadores do Bem, os Marinheiros, guardiões do Reino do Mar que com sua alegria nos energizaram e nos prepararam para uma nova etapa, um novo ano de muito trabalho, mas também de muito aprendizado rumo a evolução espiritual!
Essa é a síntese da nossa Tenda. Uma tenda onde é cobrada a dedicação e participação de TODOS tanto nos trabalhos espirituais (giras, sacramentos, obrigações e estudo) como principalmente nos trabalhos sociais e assistenciais (arrecadação de alimentos, cestas básicas, participação em ações de direitos sociais, etc). Pois entendemos que o aprendizado deve ser em busca da evolução do Ser Humano e a vida não se limita a vivência espiritual.
Algumas pessoas irão concordar com nossa linha de trabalho e atividades, outras não.
O importante é saber que uma história de 15 anos não se constrói em 15 dias, ensinamentos vem com acertos e erros ao longo dos anos e que novos ensinamentos sempre virão.
Quando precisamos renovar nossas energias ou procurar alguma orientação sempre buscamos nossas raízes, nossos mentores, quem nos confiou e nos deu o aval para o ofício do sacerdócio. Afinal, entendemos que o respeito a nossa ancestralidade é fundamental.
Só posso agradecer.
Agradecer a Zâmby, aos Orixás, as Entidades, aos meus orientadores, a minha família material, aos meus filhos espirituais e aos amigos que sempre nos prestigiam.
Ademais, o Tempo, só ele, dará as respostas que nossa limitação não é capaz de compreender atualmente.
Gratidão por esse ano difícil e ao mesmo tempo de tantos aprendizados e muitas Bênçãos!!!
Salve 2016!
Prontos para 2017!
Saravá fraterno!

Fonte: Pai Evandro de Ogum

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Oração a Pai Xangó

Juntos Somos Mais Forte!

Alguns textos, poemas e fotos foram retirados de variados
sites, caso alguém reconheça algo como sua criação e não
tenha sido dado os devidos créditos entre em contato.
''A intenção deste blog não é de plágio, mas sim de espalhar conhecimento e manter viva a nossa historia"

Ass: Mariano de Xangó
mariano_xango@yahoo.com

O QUE SÃO OGÃNS?

O QUE SÃO OGÃNS?
Ser Ogam é muito mais do que ser aquela pessoa no fundo do Terreiro, tocando pontos para as entidades, médiuns e assistentes. Ser Ogam é participar de forma efetiva e consciente nos trabalhos. Isso exige conhecimento, humildade, concentração, responsabilidade, mediunidade e amor. O Ogam é o responsável pelo canto, pelo toque, pela sustentação, pela parte física e equilíbrio harmônico dos rituais. Diferente do que muita gente pensa, um Ogam pode incorporar, porém, a sua mediunidade manifesta-se normalmente, de forma diferente do restante do corpo mediúnico. Manifesta, principalmente, através da intuição, das suas mãos, braços e cordas vocais. Os atabaques, quando devidamente consagrados e ativados pelos Ogãns, são verdadeiros instrumentos de auxílio espiritual, pois são capazes de canalizar, concentrar e irradiar energias que tanto podem ser movimentadas pelo próprio Ogam como pelas entidades de trabalho para os mais diversos fins