20 outubro 2014

Finalização da gravação do CD de Malunguinho, cujo nome é: Sobô Nirê - Meu Labor da Mata (Alexandre L'Omi L'Odò)

Como é gratificante estar ao lado de pessoas de profunda ciência e axé. Ontem foi a finalização da gravação do CD de Malunguinho, cujo nome é: Sobô Nirê - Meu Labor da Mata.

Estou profundamente agradecido à Malunguinho por tantas vitórias e alegrias, e sobre tudo por colocar em meus caminhos pessoas tão magníficas e que nos fazem acreditar que vale a pena lutar pela Jurema unidos e em conjunto.

A finalização deste trabalho foi mais uma etapa cumprida na luta por nós todos. Estou cansado mesmo, pois produzir tantas atividades em curto prazo de tempo nos toma quase que por completo, mas o que me alimenta é a fé que tenho, em um dia podermos ser respeitados como merecemos!

Agradeço ao Ctcd Peixinhos na pessoa de Selma Leite, coordenadora cujo sensibilidade permitiu que este lindo trabalho fosse realizado com total harmonia e alegria. Obrigado também pela maravilhosa feijoada de ontem, foi mara (rsrsrs). Obrigado aos companheiros técnicos do Estúdio Peixe Sonoro - Pedro Santos e Sammy Barros, que com total paciência e dedicação deram o melhor de si para garantir as melhores gravações com total qualidade técnica. Obrigado à Rinaldo De Aquino Souza que com sua força nos ajudou o tempo todo a realizar este projeto nos coordenando. Obrigado aos grupos e artistas: Bongar Grupo, Bojo da Macaíba na pessoa de Nino Souza, Chinelo de Iaiá (na pessoa de mãe Laurinete Moraes), Karynna Spinelli, Lucas Dos Prazeres e Coco Dos Pretos. Obrigado aos juremeiros e juremeiras que participaram das faixas de terreiro: Juremeiro Marivaldo (Cabuêta), Juremeiros Vado de Pau Ferro(Bagaceira Folia), Muitíssimo obrigado especial à Mãe Rosa do Palácio de Iemanjá, àJuliana Bison que muito nos ajudou, à Ricardo Ricardo Nunes que o tempo todo esteve junto deste processo ajudando efetivamente na realização deste trabalho, à Maria Betânia, à Thulio Xambá Xamba que é um maravilhoso Ogan e que foi essencial, à Cristina e Silvana que fizeram o melhor coral da Jurema nestas gravações, à Danil pela ajuda (ele é criança ainda mas já tem tino na luta) e a todas e todos que ajudaram de forma direta ou indireta neste lindo processo.

O agradecimento mais especial de todos vai para a Jurema Sagrada e para o Reis Malunguinho, que a mais de 7 anos tinha me dado esta ideia maravilhosa e que só agora pude realizar. Feliz é pouco, tô é vibrando e triunfando na Jurema!

Lembro que a pesquisa e o registro etnomusicológico e etnográfico feito neste trabalho servirá para toda posteridade que necessitará aprender a cantar pra Malunguinho dentro das tradições profundas da Jurema de Pernambuco. Relembro que os artistas que gravaram neste disco, usaram de sua criatividade musical para dar vida às toadas. Sendo este um CD diverso de ritmos e arranjos musicais que re-interpretaram as toadas de forma genial.

O CD será lançado ainda este ano. Em breve diremos dia, local e hora que o Povo da Jurema vai se reunir para vibrar na força de Malunguinho para comemorar esta vitória!

Sobô Nirê Reis Malunguinho!!!!!

Obrigado!

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário

Oração a Pai Xangó

Juntos Somos Mais Forte!

Alguns textos, poemas e fotos foram retirados de variados
sites, caso alguém reconheça algo como sua criação e não
tenha sido dado os devidos créditos entre em contato.
''A intenção deste blog não é de plágio, mas sim de espalhar conhecimento e manter viva a nossa historia"

Ass: Mariano de Xangó
mariano_xango@yahoo.com

O QUE SÃO OGÃNS?

O QUE SÃO OGÃNS?
Ser Ogam é muito mais do que ser aquela pessoa no fundo do Terreiro, tocando pontos para as entidades, médiuns e assistentes. Ser Ogam é participar de forma efetiva e consciente nos trabalhos. Isso exige conhecimento, humildade, concentração, responsabilidade, mediunidade e amor. O Ogam é o responsável pelo canto, pelo toque, pela sustentação, pela parte física e equilíbrio harmônico dos rituais. Diferente do que muita gente pensa, um Ogam pode incorporar, porém, a sua mediunidade manifesta-se normalmente, de forma diferente do restante do corpo mediúnico. Manifesta, principalmente, através da intuição, das suas mãos, braços e cordas vocais. Os atabaques, quando devidamente consagrados e ativados pelos Ogãns, são verdadeiros instrumentos de auxílio espiritual, pois são capazes de canalizar, concentrar e irradiar energias que tanto podem ser movimentadas pelo próprio Ogam como pelas entidades de trabalho para os mais diversos fins